QUAL CÂMERA EU DEVO COMPRAR?

christian-mackie-az2pTpXsDg0-unsplash

Fotografia: Christian Mackie

 

Essa é uma dúvida pertinente, afinal são tantas as opções que não é mesmo fácil decidir nem saber qual seria a melhor aquisição. Mas uma coisa que pode ajudar a decidir é calcular o quanto se quer investir e pensar quais são as prioridades com a fotografia pretendida.

Fotografia: Fabian Blank

 

O investimento

Modelos top de linha custam muito dinheiro. Todas as câmeras no Brasil são importadas então não há câmeras realmente baratas aqui, quanto mais sofisticada, mais cara
será a câmera. Saber até quanto se está disposto a investir é o primeiro passo.

O tipo de câmera

Há diversos tipos ou categorias de câmeras, mas vamos  tomar aqui as principais: Compactas, Super zoom, DSLR e Mirrorless. É importante saber que dentro de cada categoria dessas existe uma infinidade de modelos que podem incluir câmeras muito básicas e outras muito mais completas.

As Compactas e as Super zoom, hoje em dia, podem ser a mesma câmera, pois muitas compactas ja trazem lentes com 30x de zoom óptico ou até mais. De todo modo, tanto as compactas quanto as super zoom são mais indicadas para viagens e uma produção fotográfica menos pretensiosa, não são indicadas em geral para uso profissional, ainda que possa existir alguns modelos que para atender à alguns nichos específicos profissionais, como por exemplo a câmera compacta Sony RX100 V desenvolvida para vlogers.

Compacta Sony RX 100V

 

Em geral as compactas não oferecem o mesmo tamanho de imagem e mesmo nível de desempenho de uma profissional.

As câmeras profissionais se encontram dentro das categorias DSLR e Mirrorless, a diferença entre elas é que as DSLRs possuem obturadores analógicos e espelhos, enquanto as mirrorless utilizam obturadores eletrônicos e não tem espelhos. Essa diferença repercute em 5 aspectos: tamanho, peso, vida útil do obturador, tecnologia e preço. Em resumo, as mirrorless são menores, mais leves, não possuem limites de disparo para o obturador, possuem mais tecnologia e custam mais caro. As câmeras profissionais são indicadas para quem quer seguir o caminho profissional ou amador avançado na fotografia, são câmeras que se prezam a fazer fotos com sensores de maior qualidade e tamanho, especialmente quando possuem sensores fullframe, e que permitem o intercâmbio de uma grande quantidade de lentes.

X-T3 Mirrorles full frame da Fujifilm

 

O modelo ideal

Definido o tipo de câmera é preciso decidir qual o modelo ideal, mas descobrir isso hoje em dia não é tarefa fácil, demanda pesquisa sobre quais as principais necessidades do usuário, é preciso ponderar se há algo específico que se espera dessa câmera. Como ja foi citado antes, existem câmeras desenvolvidas para nichos específicos e isso pode ser aplicado à todas as categorias citadas. Umas favorecerão à filmagem, outras à fotografia em áreas específicas, a DSLR Nikon D810A, por exemplo, foi projetada especificamente para a astrofotografia. De forma menos óbvia, haverá modelos de câmeras mais usadas do que outras em diferentes áreas como fotografia de esportes, produto, moda etc.

DSLR Nikon D810A Câmera para astrofotografia

 

Tomando a decisão

Agora é o momento de retomar o primeiro ponto levantado: o investimento. Isso irá definir se você ira comprar uma câmera nova ou usada e qual marca você irá optar. Se você ainda não está certo sobre qual área é de seu interesse, talvez seja melhor optar por uma câmera mais básica para aprender fotografia, uma DSLR de entrada de alguma marca japonesa que não implique em um investimento inicial muito alto.

Canon EOS Rebel T6 – Modelo de entrada das DSLRs profissionais da Canon.

 

Via de regra, marcas consagradas japonesas como Nikon, Fuji, Canon, Sony e Pentax são quase sempre garantia de bons produtos por preços mais acessíveis. A marca alemã Leica ou a sueca Hasselblad, são consideradas as melhores do mundo, mas também são câmeras muito mais caras.

Hasselblad mirrorless X1D – uma câmera de 9.000 dólares.

 

É interessante buscar ver fotografias produzidas com câmeras de diferentes marcas, você irá perceber que sensores e lentes diferentes geram cores diferentes e é interessante descobrir quais as que mais te agradam.

Esse post termina sem te dizer qual câmera comprar porque não existe uma câmera certa para todo mundo, mas espero que as informações e observações aqui pontuadas sejam úteis para te auxiliar nessa escolha. Não compre apressadamente, sinta a câmera na mão e veja fotos feitas com ela. Tenha também em mente que o equipamento não deve ser seu investimento mais importante para se tornar um fotógrafo. Todos esses critérios irão te ajudar.

 

Por André Ricardo Souza