Bora fotografar o cometa Neowise? O próximo só daqui 6800 anos

cometa

Sem dúvidas os telescópios espaciais são as melhores câmeras capazes de nos mostrar diferentes tipos de imagens do universo, na verdade eles possuem várias câmeras com uma objetiva imensa apontada para o passado. Claro que existem especificidades e tecnologias que cada um destes telescópios dispõe para captar diferentes espectros de ondas, o famoso Hubble, por exemplo, possui três câmeras: uma de ângulo estreito, outra para grande campo de imagens planetárias e ainda uma para infravermelhos. Diga-se de passagem, as mais belas imagens que temos produzidas do universo foram obtidas através do Hubble. Apesar disso é possível produzir fotografias astronômicas incríveis aqui mesmo da Terra.

Fotografia feita pelo Hubble, Fonte: NASA

 

Esse é o universo da fotografia astronômica e agora você vai saber porque esse é o momento e o que é importante para se obter sucesso nesse tipo de fotografia.

Um visitante raro

Para a astrofotografia existem previsões astronômicas: uma chuva de meteoros, um eclipse lunar, um planeta que em sua órbita se torna mais próximo e mais visível da Terra ou a passagem de um cometa na vizinhança. Este último é o caso do momento. Sim, o Neowise, que recebeu esse nome do telescópio espacial que o descobriu, é um cometa retrógrado de longo período com uma trajetória quase parabólica descoberto este ano.

O Neowise no Canadá – Fotografia: Ray Gao

 

Trata-se de um objeto de 17ª magnitude. Cometas são como uma bola de gelo sujo, compostos de poeira cósmica microscópica, partículas rochosas maiores e gases congelados em seu núcleo. Eis o porque do momento: ele está visível essa semana nos céus do Brasil. Essa é uma oportunidade única de fotografar um visitante extremamente raro que só passará por aqui novamente daqui 6.800 anos.

O que é preciso para fazer fotografia astronômica ou fotografar um cometa?

Para fotografar cometas e outras belezas cósmicas você deve considerar em primeiro lugar o local. Durante a noite as luzes da cidade são um grande estorvo, principalmente as cidades grandes. Buscar um local afastado da cidade é uma boa pedida, as condições climáticas também podem interferir, portanto a torcida é para um céu limpo de nuvens. Outro ponto importante é que a câmera deverá estar totalmente imóvel, portanto o uso de um tripé é indispensável, preferivelmente, acompanhado de um cabo disparador, ou um controle remoto ou ainda você pode simplesmente utilizar o timer da câmera.

Fotografia: Yash Prajapati

 

Em geral, para a astrofotografia a objetiva mais indicada é a de menor distância focal (grande angular), isso porque é necessário deixar mais tempo aberto o obturador e uma objetiva com menos zoom como uma 24mm pode ajudar, entretanto você pode querer uma objetiva como um grande zoom no caso de aproximar ao máximo do cometa e nesse caso terá que optar por uma exposição menor. Existirá uma dificuldade de se manter o foco no astro especialmente em uma longa exposição, devido ao movimento da terra e do próprio cometa, o indicado é usar o foco manual. A abertura pode ser maior ou menor conforme o horário e o objetivo da fotografia astronômica, mas experimente sempre tempos longos de exposição como 15 segundos, talvez um pouco mais, talvez um pouco menos. Você pode partir da utilização de um ISO alto para captar o maior contingente de corpos brilhantes no céu estrelado ou pode utilizar a câmera no modo BULB com um ISO baixo à fim de destacar o risco da cauda do cometa.

Se agendando para o cometa Neowise.

Ele está visível no Brasil durante essa semana. De acordo com as previsões, o Neowise será visível até a próxima quinta-feira (30 de julho). Inicialmente, ele vai aparecer apenas na região Norte, depois Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, nesta ordem, “descendo” pelos nossos céus. O horário é o início da noite, ele estará próximo ao horizonte na direção noroeste, logo que começar a escurecer. Preocupe-se em ter um horizonte livre nessa direção. Ele se põe uma hora depois do sol, por isso o tempo é bem curto e o horário importa tanto. Se você pretende fotografá-lo planeje estar no ponto certo com antecedência.

Um software ou app de observação dos céus (como o Skywalk, Starchart ou Stellarium) pode ajudar a encontrar a trajetória do cometa.

 

Por André Ricardo Souza – professor da Escola de Fotografia e Arte Câmera Criativa