CONHEÇA AS NOVAS CÂMERAS DO MOMENTO

Quais são as câmeras profissionais do momento - foto por Liam Shaw

 

Fotografia: Liam Shaw 

 

Há sempre muitas expectativas entre fotógrafos e entusiastas da fotografia sobre as últimas novidades em equipamentos e principalmente sobre quais serão as próximas câmeras a serem lançadas. Entre rumores e confirmações, fabricantes começam a lançar novos produtos.

 

Sony lançando primeiro

Apresentada em julho de 2020 pela Sony, o modelo A7s III foi a primeira dentre as câmeras de última geração a ser lançada. Pertencente à linha Alpha, ela vem equipada com um sensor full-frame de 12.1MP retroiluminado e um processador que chega a ser 8x mais rápido que o modelo anterior, conta com ISO de até 409600 e também com velocidades de leitura mais rápidas. Um sistema de autofoco com detecção de fase que utiliza 759 pontos, cobrindo 92% do sensor, isso faz a diferença para um rastreamento ágil sobre todos os tipos de assuntos em movimento rápido. A Sony incrementou o autofoco com o sistema Eye AF, para humanos e animais, além do rastreamento em tempo real que se destaca na produção de videos. O sistema AF também se beneficia da capacidade de focar em até -6 EV. 

 

 

Fotografia: Reinhart Julian

 

Sobre o design, temos novos menus com novas categorias que prometem facilitar a navegação pelas configurações na tela sensível ao toque. Trata-se de uma tela EVF OLED com maior capacidade de ampliação do que normalmente se observa em uma tela sensível ao toque, ela é também totalmente articulada para favorecer o monitoramento em qualquer posição facilitando a produção de vlogs e selfies, mas pode-se também utilizar a captura remota para visualizar em outros dispositivos móveis ou o Wi-Fi de 2,4 / 5GHz para conectar a câmera a um PC. A câmera traz um botão de gravação dedicado na parte superior e ficou mais prático alternar entre os modos foto e vídeo. A estabilidade de imagem é uma marca das câmeras da série A7 da Sony, esse novo modelo avança mais nessa compensação para permitir filmagens manuais mais suaves e fotos mais nítidas em lentes telefoto mais longas. O equipamento ainda traz uma estrutura de gerenciamento de calor passivo que permite 4K por mais de uma hora. A qualidade adicional dos codecs e alta taxa de bits mantém os detalhes e a faixa dinâmica desde a produção até a publicação dos vídeos, também uma porta HDMI de tamanho normal pode produzir 16 bits brutos. Por toda essa configuração, nota-se claramente que esta é uma bela câmera centrada em vídeo. 

Mais recentemente a Sony apresentou também sua nova câmera mirrorless full-frame, a7C, que é um modelo um pouco menor, mais enxuto e mais barato do que a Sony A7 III, que conta com o mesmo sensor com estabilização de imagem em 5 eixos. Rumores apontam que o lançamento de uma Sony A7 IV é previsto para este ano, 

 

Nikon e Canon em transição acelerada.

A Nikon reconheceu estar consolidando sua transição de DSLR para Mirrorless e anunciou que irá investir em muito mais lentes de montagem Z para suas mirrorless. Os últimos lançamentos ainda em 2020 foram as objetivas NIKKOR Z 50mm f/1.2 S, que é a lente mais luminosa da marca com foco automático, também a NIKKOR Z 14-24mm f/2.8 S que é a grande angular zoom mais leve na sua categoria, no entanto a última câmera fullframe mirrorless lançada pela marca foi a Z7 em 2018 e que faturou o prêmio Dpreview Awards 2018 de melhor câmera, a Z7 já trouxe altíssima resolução em um sensor de 45 MP mantendo essa câmera um páreo duro mesmo para as concorrentes lançadas posteriormente. 

 

Fotografia: Jeremy Lee

 

Em 2019 a empresa lançou ainda a Z50 introduzindo uma mirrorless no formato DX e em 2020 a DSLR D780, cujo lançamento foi realmente uma surpresa uma vez que os desenvolvedores da Nikon haviam anunciado estarem totalmente voltados para os modelos mirrorless e suas lentes. Apesar de não haver nenhum comunicado oficial sobre um novo modelo mirrorless de ponta da marca, especula-se que algumas imagens do manual de uma nova Nikon Z8 teriam vazado na internet apresentando um pouco dos recursos que estão por vir: um sensor com 9.552 por 6.364 pixels e um novo codec para arquivos gerados em uma qualidade bem alta são alguns destes dados especulativos, mas por hora, temos apenas rumores sobre essa câmera. A Canon também promete investir duro nas suas lentes de montagem RF, mas diferente da Nikon, ela anunciou em julho de 2020 o lançamento da Canon EOS R5, uma mirrorless surpreendente que possui estabilização de imagem no corpo, velocidade de disparo contínuo de 12 FPS ou 20 FPS usando um obturador eletrônico, capacidade de gravar vídeo de 8K, slots de cartão CFexpress duplos, além de um design que prioriza a ergonomia. Assim como o lançamento da Sony, a câmera da Canon parece centrar no quesito produção de vídeo, ela oferece possibilidades de gravação RAW interna de 8K com uma largura total do sensor em até  29,97 FPS e 4K até 119,88 FPS.

 

 

Imagem de divulgação da Canon EOS R5

 

A Canon lançou em 2020 duas das suas objetivas EF mais populares também na versão RF – a RF 50mm f/1.8 STM e a RF 70-200mm F4L IS USM. Em termos de objetivas a Sony está muito à frente do jogo, com um número muito maior de objetivas no páreo e, incluindo lentes produzidas por terceiros, o número total ultrapassa 150 lentes. Já a Nikon e a Canon ainda não abriram seus suportes para fabricantes terceirizados, mas como são marcas muito populares, empresas como Sigma, Tamron, Tokina, Zeiss entre outras, provavelmente continuarão fabricando lentes para essas marcas. 

 

Fujifilm com opções menores.

A FujiFilm acaba de lançar a X-E4, câmera que chegou oficialmente para se tornar a menor e mais leve câmera mirrorless da empresa. 

 

 

Imagem de divulgação da Fujifilm X-E4

 

Equipada com um sensor APS-C de 26 MP com filtro de cor X-Trans, conta com um visor de 3,0” sensível ao toque e que pode inclinar até 180 graus, no quesito vídeo ela é bem inferior às concorrentes, mas essas câmeras da série X da Fujifilm, combinam grandes sensores APS-C com corpos menores que seus rivais, a X-E4 especificamente, se destaca pelo rápido foco automático e pela alta qualidade de imagem produzida em um corpo tão pequeno e leve (360 gramas), ela tem um atraente design retrô e apesar de vista como uma opção mais voltada para amadores ela tem potencial para atender as necessidades de muitos profissionais.

 

Por André Ricardo Souza
Professor na Câmera Criativa Escola de Fotografia e Arte